PUBLICIDADE
Topo

Test-drive: Prazer (muito, aliás), Ride 9 da Saucony

Na Vitrine

20/02/2018 04h00



Ao ser abordado para testar o Ride 9, o modelo mais acessível entre os destinados pela Saucony em sua volta ao Brasil, me surpreendi. Confesso que não conhecia a marca que tem 119 anos de tradição nos modelos de corrida nos Estados Unidos e que, desde julho, vende tênis em territórios brasileiros. A segunda surpresa foi positiva e se deu logo que calcei o par pela primeira vez.

Versátil e destinado para corridas intermediárias, o Ride 9 é bastante confortável, leve e trouxe uma sensação de modo geral muito positiva em três experiências para a criação desse texto. Uma na esteira, outra no asfalto e outra na areia, todos entre 8 e 12 quilômetros.

A capacidade de amortecimento, potencializada pela segunda temporada tecnologia Everun, é um ponto de destaque. A camada de amortecimento é integral em todo o tênis e fica bem próxima do pé. De acordo com relatos de proprietários do Ride 8, houve evolução na leveza e no solado. Há ainda o chamado "flex film", que protege o cabedal sem a necessidade de costuras.

Se há um ponto baixo a se destacar, por mais subjetivo que seja, é o design. O Ride 9 não encanta pela beleza de um modo geral e, ao menos nesse aspecto, está em desvantagem com marcas concorrentes. A opção da Saucony foi por um layout bastante sóbrio.


Ficha técnica

Tênis: Ride 9, da Saucony
Pisada: Neutra ou supinada
Peso: 269g
Drop: 8,8mm
Preço sugerido: R$ 499

 


Avaliação

– Conforto: nota 9

Em uma das corridas, a mais longa, houve alguma dor nos pés. Mas, em geral, o tênis é confortável e oferece uma experiência bastante agradável. Também há pouco aquecimento dos pés graças a uma boa ventilação e há tecnologia para não absorver umidade, o que eleva o conforto.

– Estabilidade: nota 10

Recém recuperado de uma grave lesão no tornozelo, não tive qualquer tipo de receio com a estabilidade do modelo. A sensação de equilíbrio é perfeita.

– Desempenho: nota 9

A tecnologia de amortecimento Everun promete devolver 83% da energia a cada passada, o que proporcionou desempenhos satisfatórios nas corridas realizadas. Não houve, porém, grande diferença nos tempos médios de corridas anteriores.

– Ajuste ao pé: nota 9,5

Sobra pouco espaço no encaixe aos pés, o que melhora a sensação de segurança, conforto e estabilidade. O ajuste ao calcanhar é perfeito.

– Maciez: nota 9,5

O tipo de solado, diferente em relação à versão Ride 8, permite uma boa sensação de maciez a cada pisada. A corrida flui sem qualquer tipo de sobressalto.

– Praticidade: nota 9,5

Há alguma dificuldade nos primeiros encaixes, mas nada muito difícil para qualquer pessoa.

– Resistência à sujeira: Nota 10

Acostumado a correr na areia, me surpreendi positivamente como o tênis ficou limpo na volta para casa.

 

Por Dassler Marques, repórter do UOL Esporte e corredor amador

Sobre o Blog

Esporte é emoção e conquistas, mas também é bola, chuteira, tênis, uniforme... Vamos falar tudo o que você precisa para praticar sua modalidade preferida ou usar o mesmo que o seu ídolo veste. A chuteira mais moderna, as curiosidades das novas bolas, quem já lançou camisa para a temporada e muito mais.

Na Vitrine